Maria Cecília e Rodolfo planejam fazer menos shows após chegada do filho
15/02/2017 - 14h41 em Famosos

Foi em cima do palco, no comecinho de novembro, que Maria Cecilia e Rodolfo anunciaram para os fãs que estava “grávidos”. O primeiro filho do casal se chamará Pedro. Maria, que está no sétimo mês de gestação, contou ao EGO que fez uma pequena mudança em sua rotina de shows por conta das dores nas costas que vem sentindo desde o início da gestação. “Tirei o salto de vez. Estou cantando de tênis, sapatilha. Salto não tem mais possibilidade”, contou ela, com bom humor.

O plano de Maria Cacília é seguir nos palcos até o início do nono mês de gestação. Assim, em abril o casal sai de licença-maternidade, retornando ao trabalho na metade de junho, um mês e meio depois da data prevista para o nascimento de Pedro, em 7 de maio. “Não tem como a gente parar. Ainda mais lançando DVD. Mas também vou levar a avó e babá para a estrada, vou ter que fazer um esquema”, contou Maria. “E a gente também vai voltar a fazer shows num ritmo mais devagar. Não vamos fazer três shows de final de semana, 15, 20 shows no mês”, completou Rodolfo.

Essa desacelerada na agenda, hoje motivada pela chegada do primeiro filho, é uma meta profissional do casal no futuro. “A tendência é ir diminuindo. Mas acho que ainda está cedo pra gente. Diminuir a quantidade de shows acontece depois de uns 20 anos de carreira. Tem mais uma década ainda aí para trabalhar bastante”, explicou Rodolfo.

Gestação
Nos sete meses de gestação, Maria ganhou 3,5 quilos. E apesar de o corpo não ter mudado muito, ela garantiu não se preocupar em voltar à antiga forma em pouco tempo após o parto. “Não tenho nenhuma preocupação quanto a isso. Já passei muito mal por causa de enjoo. Acho que até por isso não engordei muito. Então acho que vou voltar bem rápido. Mas foi sorte mesmo. Minha médica me liberou tudo, só não pode carne crua. O resto como de tudo”, comentou ela que, teve dois desejos durante a gravidez: bolacha de maisena e pastel na madrugada.

"Todo mundo achou que eu já estava grávida no DVD"
Maria contou que desde 2014 já planejava engravidar, mas por conta da carreira, adiou o sonho. Em abril de 2016, ela deixou de tomar anticoncepcional, mas ainda ficava de olho na tabelinha por conta do planejamento do DVD, gravado em junho. “Não queria aparecer grávida, mas por bobeira, porque ia ficar lindo se eu já estivesse barrigudinha no DVD”, diz ela, que engravidou em agosto.

Ainda assim, os fãs da dupla achavam que Maria já estava grávida quando registrou o novo álbum, que acaba de ser lançado. Isso porque a cantora se emocionou ao cantar a faixa “Dói só de pensar”. “A música fala da espera do filho. E no clipe eu nem consegui cantar, só chorava, porque a gente já estava planejando, então não via a hora de descobrir a gravidez. Me emocionei junto e a gente decidiu deixar assim para passar para as pessoas o que estava sentindo ali. Então todo mundo achou que eu já estava grávida”, explicou.

Parceria dentro e fora dos palcos
Maria Cecília e Rodolfo começaram a tocar juntos em barzinhos em 2007 e um ano depois gravaram o primeiro CD. Na época, os dois eram apenas amigos. Mas o amor falou mais alto e os dois se tornaram parceiros também fora dos palcos. Até por isso, se preocupam na manutenção da sintonia. Mas fazem questão de ressaltar que não são o casal perfeito.

“Não existe. Nem Brad Pitt e Angelina Jolie... que nem são mais casal”, afirmou Rodolfo. "Mas enquanto a gente estiver junto a gente vai lutar para que isso seja perfeito. Lógico que a gente tem nossas brigas, nossas diferenças, mas a gente se ama acima de tudo. Então todo dia a gente batalha pra estar bem um com o outro. A gente não dorme brigado, sempre procura resolver as coisas. Porque além de um relacionamento, a gente tem uma carreira, somos sócios, amigos, é muita coisa envolvida”, completou Maria.

Mulheres no sertanejo
Por alguns anos, Maria Cecília foi a única representante feminina no novo cenário sertanejo. “Eu fui a primeira, mas sem pretensão nenhuma isso aconteceu. Depois veio a Paula Fernandes, Thaeme e Thiago. Mas, ao contrário do que as pessoas falam, eu sempre cantei isso de não estar nem aí para o cara, como na música ‘A fila andou’”, defendeu Maria, antes de completar. “No começo, acho que as pessoas escutavam a gente por curiosidade, porque não tinha nenhuma mulher nesse novo sertanejo. E também por ser um homem e uma mulher, então as pessoas achavam diferente. Hoje, todo mundo escuta sem preconceito nenhum, e ter aberto essa porta aí é muito bacana. Fico lisonjeada por saber que fui a primeira dessa mulherada ”, afirmou a cantora.

Fonte: G1

COMENTÁRIOS